loading
instagram
Ô abre alas, pra economia que deve aquecer neste carnaval

O carnaval está chegando, em muitas cidades brasileiras já é possível curtir a festa nos bloquinhos de rua, ensaios e esquentas. E o que mais vai esquentar neste carnaval além das ruas é a economia.Este ano, a CNC estima que o faturamento no carnaval deverá ser de cerca de R$ 8 bilhões, um aumento real de 1% em relação ao ano passado.

Os segmentos especializados em alimentação fora do domicílio, como bares e restaurantes, devem movimentar R$ 4,8 bilhões, as empresas de transporte de passageiros rodoviário, aéreo e de locação de veículos rodoviários, R$ 1,3 bilhão, e os serviços de hospedagem em hotéis e pousadas, R$ 861,3 milhões. Eles responderão por mais de 88% de toda a receita gerada com o carnaval. Segundo publicação da Agência Brasil.

"Alimentação se destaca, nesse caso, pois é o setor que mais gera movimento, de fato, durante os dias de carnaval, enquanto os serviços de transporte e hospedagem registram maior atividade nos meses que antecedem a data", explicou Bentes

Esse é momento ideal para lançamentos de produtos, campanhas, experimentações, é uma ocasião de muita gente reunida num mesmo lugar divulgando, provando e promovendo marcas.Nem só de cerveja as pessoas devem se hidratar neste carnaval, existe um público fitness fiel aos seus hábitos, que nem por isso vão deixar de curtir a festa. Mulheres lindas que vão desfilar e passar na telinha também investiram muito em alimentação saudável e práticas de atividade física para aguentar a maratona dos dias de festa.

A Stevia Soul faz parte desse bloquinho e une seus melhores produtos para cair na folia. Com dicas e promoções especiais, a empresa aposta nas redes sociais e na sua plataforma de venda online para alavancar vendas durante a festa.Presente nos grandes centros e nas principais capitais que comandam a festa, a Stevia Soul pretende estar nas estatísticas de crescimento de vendas em fevereiro.

Rio de Janeiro, com faturamento previsto de R$ 2,32 bilhões, São Paulo, R$ 1,95 bilhão, e Bahia com R$ 1,13 bilhão, tendem a concentrar mais da metade da movimentação financeira durante o período. Em termos relativos, a maior taxa de crescimento real de receitas deverá ocorrer em São Paulo, alta de 5,4%, e Pernambuco, 3,2%.